terça-feira, 27 de maio de 2008

Ensaios de Poincaré


A editora Contraponto do Brasil informa que saiu o volume "Ensaios Fundamentais", de Henri Poincaré (tradução: Vera Ribeiro; organização: Antônio Augusto Passos Videira e Ildeu de Castro Moreira):

Ainda em vida, Henri Poincaré (1854-1912) foi considerado por Bertrand Russell como “a maior figura produzida pela França nos tempos modernos”. A originalidade de suas idéias e as metodologias que inventou não apenas marcaram profundamente a matemática, a física e a astronomia, mas estão na origem de parte significativa dos atuais desenvolvimentos dessas disciplinas. Expunha suas idéias com tal brilho, elegância e clareza que terminou acolhido na Academia Francesa. Poincaré publicou cerca de quinhentos trabalhos, principalmente em mecânica celeste, física, engenharia e em todas as áreas da matemática, pura e aplicada. Foi membro de 35 sociedades científicas de todo o mundo e doutor honoris causa de diversas universidades. Recebeu inúmeros prêmios. Ensaios Fundamentais, que as editoras Contraponto e PUC-RJ agora publicam, resulta de um trabalho de pesquisa realizado por dois historiadores da ciência, Antônio Augusto Passos Videira e Ildeu de Castro Moreira. Eles selecionaram os artigos de divulgação mais representativos, escritos por Poincaré e que foram publicados em revistas científicas.

O livro, tal como o apresentamos, não existe em nenhuma outra edição, nem mesmo na França. Em “Eletricidade e óptica: as teorias de Maxwell e a teoria eletromagnética da luz”, “Luz e eletricidade segundo Maxwell e Hertz”, “As relações entre a física experimental e a física matemática” e no magistral “As idéias de Hertz sobre a mecânica”, Poincaré explora as conseqüências epistemológicas de teorias fundadoras da física moderna. Em “Os fundamentos da geometria”, discute a obra seminal de Hilbert, defendendo o ponto de vista intuicionista, contra uma descrição puramente lógica das teorias. No texto sobre “O problema dos três corpos”, apresenta uma versão simplificada de sua famosa solução para o problema da estabilidade do sistema solar. Em “As formas de equilíbrio de uma massa fluida em rotação” aparecem novos métodos em mecânica, que influenciaram grandemente o estudo da dinâmica e do equilíbrio dos planetas e de seus anéis, ampliando a noção de sistema dinâmico. Em “A dinâmica do elétron”, Poincaré apresenta interpretações profundas das transformações de Lorentz e propõe a noção de “tempo local”, antecipando-se mais uma vez à Teoria da Relatividade, que seria formulada depois por Einstein. Em “A hipótese dos quanta”, percebe de forma pioneira as tremendas conseqüências que viriam da quebra do paradigma da continuidade nas leis físicas, o que desembocaria na criação da mecânica quântica. Em “As relações entre a matéria e o éter”, debate as conseqüências da demonstração, por Jean Perrin, da realidade dos átomos. O livro termina com uma jóia rara, “As ciências e as humanidades”, uma reflexão sobre o valor da formação humanística para o cientista. Como diz o título do livro, são Ensaios Fundamentais. De Henri Poincaré, a Contraponto já publicou O valor da ciência, em terceira reimpressão.

César Benjamin

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.